E24
antonio costa residencia

Barcelos: “Todas residências planeadas prontas em 2026” disse António Costa durante inauguração no IPCA

O primeiro Ministro António Costa inaugurou hoje a primeira residência universitária do Politécnico do Cávado e Ave. Equipamento financiado pelo Next Generation EU acolherá 62 estudantes, aliviando falta de alojamento na instituição

O Politécnico do Cávado e do Ave, sediado em Barcelos, celebrou hoje a inauguração da primeira Residência de Estudantes, marcando o evento com a presença do primeiro Ministro, António Costa.

O equipamento, situado a 200 metros do Campus, será capaz de acomodar seis dezenas de estudantes

Durante a cerimónia, o primeiro Ministro destacou “a importância” destas iniciativas “para superar a escassez de alojamentos”, considerada “uma barreira significativa ao acesso ao ensino superior”.

António Costa anunciou ainda que todas as residências planeadas estarão concluídas até 2026.

A nova Residência, localizada na rua do Aldão, em Vila Frescainha S. Martinho, foi adquirida com o financiamento do Next Generation EU, através do Programa Nacional para o Alojamento no Ensino Superior.

O investimento, aproximadamente 2,02 milhões de euros, destinou-se à aquisição, adaptação e ampliação do edifício para fornecer alojamento a estudantes carenciados.

O primeiro Ministro enfatizou que “até 2026 todas as residências planeadas estarão prontas, contribuindo para superar a falta de alojamento no ensino superior em Portugal”.

A presidente do Politécnico, Maria José Fernandes, destacou o significado “histórico” deste marco, evidenciando que o Politécnico do Cávado e do Ave era a única instituição de ensino superior em Portugal sem uma residência universitária.

“B-CRIC” pronto em setembro

Maria reafirmou os compromissos da instituição com a formação superior e anunciou o complexo B-CRIC, a ser inaugurado em setembro.

A nova residência “In Barcelos” visa tornar o IPCA “mais atrativo para estudantes nacionais e internacionais, representando um passo importante na melhoria das condições de alojamento para a comunidade académica”.

A aquisição do edifício foi viabilizada pelo financiamento do Next Generation EU, demonstrando o compromisso de Portugal com a modernização e expansão das infraestruturas educacionais.

A Residência é a primeira de duas previstas para Barcelos, com a segunda, integrada no complexo B-CRIC, prevista para abrir em 2025 e oferecer 133 camas adicionais.

Antonio Costa barcelos

Publicidade