E24

Braga: Mais um passo rumo à aprovação definitiva da unidade de execução das Sete Fontes

É já na próxima segunda-feira que a Câmara de Braga avança com aprovação definitiva da unidade de execução n.º 6 nas Sete Fontes.

Será analisada em sede de Reunião do Executivo Municipal, a proposta de aprovação definitiva da unidade de execução n.º 6 nas Sete Fontes.

Esta é mais uma unidade de execução que integra o Plano de Urbanização das Sete Fontes (PUSF), que estabelece com bastante detalhe as orientações relativas à operação a desenvolver.

Designadamente, a unidade de execução n.º 6, com uma área total de 54.215 m2, prevê, de forma exacta e efectivamente delimitada, solo para uso cultural (43.282 m2), solo para espaço público pedonal e solo para espaços habitacionais. A operação assegura, ainda, uma ligação viária à via existente a norte.

João Rodrigues, vereador do Urbanismo e do Planeamento do Município de Braga, refere que este é ´um passo muito importante´ em todo este processo. “É o momento que permite que se inicie a operação de loteamento e a consequente e importante cedência do solo onde nascerá o parque propriamente dito, por parte dos proprietários, ao Município de Braga”, salienta.

Parque das Sete Fontes

O Parque das Sete Fontes é considerado um projecto absolutamente estratégico para Braga pelo Executivo Municipal, motivo pelo qual, ao longo dos últimos anos, se foram cumprindo diversas etapas necessárias para o concretizar, nomeadamente a aprovação da a suspensão do Plano Director Municipal (PDM), o estabelecimento de medidas cautelares preventivas, a supressão da via que atravessava as Sete Fontes e a promoção de uma ampla discussão pública sobre as alterações ao PDM para esta área e sobre o seu plano de urbanização.

A aprovação da delimitação de 24 Unidades de Execução do Parque das Sete Fontes constitui um requisito fundamental para a concretização do parque, sendo este mais um passo nesse caminho.

30 hectares

Trinta hectares de parque verde público, 30 hectares de área florestal privada e 30 hectares de área urbana com criação de praças, pequenas edificações de apoio, miradouros, percursos pedestres e cicláveis. Assim será o Parque das Sete Fontes, cujo elemento central é o ancestral sistema de abastecimento de águias à Cidade de Braga, uma obra hidráulica do século XVIII classificada como Monumento Nacional desde 2011.

Publicidade