E24

Prevenir a disfunção erétil com medidas simples

Muitos homens têm medo de falar sobre disfunção erétil, principalmente devido às implicações culturais. Prevenir a disfunção erétil é possível para a grande maioria dos homens.

A disfunção erétil pode fazer um homem se sentir pressionado, estressado ou afetar a autoconfiança, o que pode levar a conflitos no relacionamento. Além disso, se o problema persistir, é melhor descartar a presença de uma doença desconhecida. Mesmo assim, lembre-se de que é possível curar e prevenir ainda melhor a disfunção erétil.

O que é disfunção erétil?

Estudos definem a disfunção erétil como “a incapacidade persistente de alcançar e manter uma ereção suficiente para permitir um desempenho sexual satisfatório”. Além disso, destacam-se as repercussões da disfunção erétil na saúde social e mental dos homens, comprometendo a qualidade de vida e as relações afetivas.

Outras pesquisas também apontam que a disfunção erétil pode ser: “a incapacidade total de produzir uma ereção, a incapacidade de fazê-lo de forma consistente ou a tendência de manter apenas ereções curtas”.

De qualquer forma, é importante saber primeiro como ocorre uma ereção e quais podem ser as causas da disfunção erétil para evitá-la.
A disfunção erétil pode ter várias causas. Alguns deles podem ser diabete, pressão alta, esclerose múltipla, doença vascular, danos às artérias, nervos, tecidos fibrosos ou músculos lisos devido à doença.

O estilo de vida também é importante, pois aumenta muitas vezes as chances de sofrer de doenças vasculares, por exemplo, se você consumir muito álcool ou tabaco. Mesmo tomar certos medicamentos como anão de borracha sex shop, podendo ser encontrada em algumas lojas de sex shop online; é o caso dos anti-histamínicos, inibidores de apetite, antidepressivos, anti-hipertensivos.

Fatores psicológicos como culpa, ansiedade, estresse, depressão, baixa autoestima ou outros também devem ser considerados. Outros casos estão ligados a desequilíbrios hormonais, pois as doenças endócrinas afetam a função sexual, como explicam algumas publicações médicas. Em resumo, a ereção está relacionada a fatores vasculares, psicológicos, neurológicos e hormonais.

Dicas para prevenir a disfunção erétil

Para prevenir a disfunção erétil, você precisa evitar fatores de risco que aumentam as chances de sua ocorrência. Algumas dicas nesse sentido são as seguintes:

Evite a automedicação: alguns medicamentos podem contribuir para a disfunção erétil. Se algum medicamento prescrito causar disfunção erétil, deve ser discutido com o especialista.

Descanse o suficiente: não dormir o suficiente pode causar estresse e isso agrava o problema.

Exercício: Um fator de risco significativo é um estilo de vida sedentário, por isso é recomendável que você se exercite pelo menos três vezes por semana, durante meia hora. Isso também gera bem-estar e previne o aparecimento de outras doenças.

Dicas para prevenir a disfunção erétil.

Para prevenir a disfunção erétil, você precisa evitar fatores de risco que aumentam as chances de sua ocorrência. Algumas dicas nesse sentido são as seguintes:

Evite a automedicação: alguns medicamentos podem contribuir para a disfunção erétil. Se algum medicamento prescrito causar disfunção erétil, deve ser discutido com o especialista.

Descanse o suficiente: não dormir o suficiente pode causar estresse e isso agrava o problema.

Exercício: Um fator de risco significativo é um estilo de vida sedentário, por isso é recomendável que você se exercite pelo menos três vezes por semana, durante meia hora. Isso também gera bem-estar e previne o aparecimento de outras doenças.

Disfunção erétil, quais são os benefícios da atividade física?

Homens com disfunção erétil não podem obter ou manter uma ereção satisfatória durante toda a relação sexual. É um distúrbio que pode afetar até os 20 anos, mas sua incidência aumenta com o avançar da idade. Que benefícios as pessoas afetadas podem obter da atividade física? De acordo com uma pesquisa publicada no British Journal of Sports Medicine, a função erétil pode melhorar com atividade e exercício.

A Universidade do Porto (Portugal) realizou uma revisão sistemática e metanálise avaliando o impacto da atividade física e do exercício na disfunção erétil tanto em pacientes operados quanto em pacientes portadores de doenças cardiovasculares, obesidade ou síndrome metabólica. A equipe analisou sete estudos publicados entre 2004 e 2013 referentes a 478 homens com idades entre 43 e 69 anos. Destes, 292 homens foram solicitados a realizar exercícios aeróbica física, exercícios para os músculos do assoalho pélvico ou uma combinação dos dois. “Isso ocorre porque a musculatura do assoalho pélvico desempenha um papel crucial na rigidez peniana. Os demais participantes não necessitaram de nenhum exercício físico.

Disfunção erétil possível “indicador” de saúde cardiovascular

A função erétil dos participantes foi medida com um índice internacional: pontuações de 22 a 25 não correspondiam a nenhum tipo de disfunção, enquanto entre 5 e 7 a disfunção era grave. Após as sessões de exercícios, a pontuação aumentou em média 3,85 pontos em comparação com aqueles que não se exercitaram. Entre aqueles com maior risco cardiovascular, com doença arterial coronariana ou submetidos à prostatectomia, qualquer forma de exercício tem se mostrado eficaz.

«A incidência de disfunção erétil – acrescenta o especialista – vária de 8% aos 20-30 anos até 37% na sétima década de idade. Calcula-se que poderá haver 322 milhões de casos em todo o mundo em 2025. É um distúrbio médico multifatorial que pode ser um preditor de doenças cardiovasculares futuras. A sua presença deve levar a estudar a possibilidade de modificar os fatores de risco das doenças cardiovasculares».

Estilo de vida é naturalmente importante na prevenção da disfunção erétil

Como nos lembra o Ministério da Saúde, uma alimentação desequilibrada, caracterizada por uma baixa ingestão de frutas e vegetais e um consumo excessivo de gorduras e alimentos processados ​​também pode afetar a saúde sexual. Para prevenir o aparecimento da disfunção erétil, é importante manter os valores normais de colesterol e pressão arterial. Também é útil minimizar o consumo de bebidas alcoólicas, não fumar e praticar atividade física regular, preferencialmente aeróbica.

 

Publicidade

error: O conteúdo está protegido!!