E24
Andre Cardoso

100 anos do Corpo Nacional de Escutas

Foi a 27 de maio de 1923 que, a partir da cidade de Braga, vimos nascer aquele que é hoje o maior movimento associativo juvenil em Portugal: o Corpo Nacional de Escutas – Escutismo Católico Português.

E se Braga viu nascer o Escutismo, também foi a partir de Braga que no fim-de-semana passado se reuniram perto de 23 mil escuteiros, oriundos de todo o país, para celebrar o 100.º aniversário da sua associação.

O Corpo Nacional de Escutas é uma das associações ligadas ao movimento escutista presentes em Portugal, a par da Associação de Escoteiros de Portugal, da Associação Guias de Portugal e da Fraternidade Nuno Álvares.

O concelho de Esposende tem, atualmente, 4 agrupamentos de escuteiros no seu ativo: Forjães (Agrupamento 1296), S. Bartolomeu do Mar (Agrupamento 82), Marinhas (Agrupamento 813) e Esposende (Agrupamento 301). Juntamente com os demais Agrupamentos dos Concelhos de Vila do Conde e Póvoa de Varzim, fazemos todos parte do Núcleo Cego do Maio pertencente à Região de Braga.

O Escutismo é uma verdadeira escola de valores e de princípios que prepara os líderes do amanhã e assume a sua ligação à natureza como condição indispensável no seu modo de vida. Ser escuteiro é, desde pequenino, fazer tudo da melhor vontade e, à medida que se cresce, estar atento a tudo e todos sempre alerta para servir.

Fazer 100 anos é de uma responsabilidade imensa e, ao mesmo tempo, demonstrativo do valor e credibilidade que uma associação como o CNE tem em Portugal. Veja-se, a este propósito, o reconhecimento que as mais altas
figuras do Estado têm para com o Escutismo, seja pela presença Ministerial que no final de semana passado se fez sentir, seja pela condecoração com a Ordem de Instrução Pública feita pelo Senhor Presidente da República no último acampamento nacional.

Os dois dias de celebração do centenário do CNE foram vividos intensamente com dinâmicas e jogos que tiverem sempre por base o “aprender fazendo”. O final do dia de sábado foi, sem dúvida, o ponto alto das comemorações com a celebração da Eucaristia presidida pelo Senhor Arcebispo Primaz e que terminou com o maior “Fogo de Conselho” alguma vez vivido. Músicas escutistas invadiram a cidade de Braga e nem a chuva intensa demoveu as centenas e centenas de crianças e jovens que trouxeram para casa boas e ricas memórias.

Que nos próximos 100 anos possamos contar com a prontidão, garra e disponibilidade de todos os escuteiros na nossa sociedade e que em Esposende se continue a respirar tão ou mais escutismo como o que atualmente existe.

Muitos parabéns CNE!

Publicidade