E24

Uniões de facto dispararam nos últimos 20 anos nos distritos de Viana e Braga

O número de cidadãos a viver em união de facto nos distritos de Braga e Viana “disparou” nos últimos 20 anos.

A opção alternativa ao casamento tem sido cada vez mais a opção e em Esposende passou-se dos 506 cidadãos para 2.386. Em Barcelos o número praticamente quintuplicou e Braga é a cidade com o maior número de residentes em união de facto.

Segundo os dados dos Censos 2021, o Alto Minho passou de 4290 cidadãos em união de facto (em 2001) para 16.614. Já o Cávado registou um aumento bastante expressivo de 6.071 para 28.244. O Ave não ficou atrás neste crescimento registando agora 28.240 cidadãos que se diz a viver em união de facto, quando vinte anos atrás eram 5838.

Braga sem surpresa é a cidade com o maior número atualmente: 15.344 contra 3257 de 2021. Segue-se Guimarães com 10 730 cidadãos (2157 em 2021) e Famalicão fecha o pódio com 9682 (1739 em 2001).

Viana do Castelo surge em quarto lugar e é a cidade que lidera no Alto Minho com 6720 cidadãos (1703 em 2021). Barcelos surge logo atrás com 6484 (1373 em 2001).

Veja aqui a evolução dos restantes concelhos
Arcos de Valdevez – 1.302 (365 em 201)
Caminha – 1344 (364)
Melgaço – 486 (174)
Monção – 1154 (345)
Paredes de Coura – 634 (94)
Ponte da Barca – 676 (186)
Ponte de Lima – 2100 (436)
Valença – 1348 (416)
Vila Nova de Cerveira – 850 (207)
Amares – 1132 (263)
Terras de Bouro – 246 (81)
Vila Verde – 2652 (591)
Cabeceiras de Basto – 844 (228)
Fafe – 3194 (830)
Mondim de Basto – 366 (109)
Póvoa de Lanhoso – 1222 (290)
Vieira do Minho – 554 (266)
Vizela – 1648 (219)

Publicidade