E24

Vender perfumes para tentar raptar pessoas? É mais um fenómeno das redes sociais sem fundamento

São vários os alertas que surgem nas redes sociais que dão conta da alguém que anda a vender perfumes com o intuito de raptar mulheres. Mas tudo não passa de uma fakenews.

Segundo as várias autoridades que contactamos (PJ, PSP e GNR), estas dão conta que não há qualquer queixa de rapto ou de que a história faça sentido.

Nas redes sociais são possíveis ver relatos em Esposende, Viana do Castelo, Braga, Guimarães, Vila Verde, Arcos de Valdevez, Ponte de Lima, Ponte da Barca, que dão conta de que um homem aborda mulheres, junto a hipermercados, para experimentar perfumes. Quando as mulheres experimentam, ficam inconscientes e o rapto é consumado.

A PSP de Viana do Castelo não ter qualquer registo de tal história nas áreas que faz policiamento (Ponte de Lima e Viana do Castelo) dando nota que tudo não passa de uma história falsa que as redes sociais estão a difundir.

O alarme social é grande, mas a GNR refere que não faz qualquer sentido, apontando mesmo para um caso em Vizela, mas aí de uns indivíduos com nacionalidade espanhola que foram identificados por estar a vender perfumes que se assemelham aos de marcas conhecidas.

“Mas sem qualquer intuito de rapto”, confirmou a GNR, referindo que apenas se trata de um caso de contrafação.

Tudo aponta para mais uma fakenews.

Braga Natal 2022

Publicidade