E24
O aumento do custo de vida, em particular dos bens de primeira necessidade, dos combustíveis e de serviços de eletricidade, gás, água e Internet, podem dar origem à acumulação de dívidas que acabam por estrangular, ainda mais, os orçamentos mensais.

Dívidas: saiba como reduzir o stress financeiro mensal

O aumento do custo de vida, em particular dos bens de primeira necessidade, dos combustíveis e de serviços de eletricidade, gás, água e Internet, podem dar origem à acumulação de dívidas que acabam por estrangular, ainda mais, os orçamentos mensais.

Isto, contudo, pode ser mitigado através da adopção de algumas medidas de contenção de despesa e da escolha de soluções financeiras mais amigas da carteira como aquelas com que o vamos brindar ao longo das próximas linhas.

Dicas para reduzir o stress financeiro mensal

Se pretende reduzir o seu stress financeiro mensal, tome nota destas dicas de poupança:

Reduzir despesas fixas

De modo a reduzir o nosso stress financeiro mensal, o primeiro passo é diminuir o peso de determinadas faturas no nosso orçamento, como é o caso dos serviços de telecomunicações, eletricidade e gás.

A melhor forma de levar isto à prática, passa por fazer uso que as entidades que regem estes setores colocam à sua disposição e que lhe vão permitir encontrar alternativas mais em conta.

Por exemplo, no caso das telecomunicações (serviços de subscrição, Internet, telemóvel etc.), aconselhamos a que utilize o simulador que o site da ANACOM (Autoridade Nacional de Comunicações) disponibiliza. Se encontrar um tarifário mais em conta, não hesite em mudar.

Para além disto, n caso das telecomunicações, tente perceber se pode abdicar de algum serviço de subscrição.

Já no caso da eletricidade e do gás, recorra ao simulador de preços de energia da ERSE (Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos) e compare os preços nos diversos fornecedores que operam no mercado português liberalizado e regulado.

Pode, ainda, verificar a potência contratada (no caso da eletricidade) em sua casa e tentar perceber se é ou não muito alta para a sua habitação. Se for, diminua a potência, pois isto vai permitir-lhe reduzir o valor da fatura no final do mês.

Definir objetivos financeiros

A redução das dívidas passa, sem sombra de dúvidas, por definir, claramente, os nossos objetivos financeiros.

Para isso, crie um orçamento onde discrimine todos os seus gastos por categoria de despesa (eletricidade, gás, serviços de Internet, combustíveis, etc.) e os rendimentos mensais que tem.

Deste modo, ficará a poder acompanhar o desenvolvimento das suas dívidas e da capacidade de as pagar ao longo do ano permitindo-lhe, simultaneamente, definir objetivos financeiros mais claros e reorganizar as suas finanças em função das metas a que se propôs.

Entre outras coisas, os objetivos podem passar por renovar a sua casa, trocar de carro ou até fazer um investimento num projeto profissional pessoal.

Aposte num crédito pessoal

Para não só o ajudar a poupar com o pagamento das dívidas e evitar juros de mora, como também para tornar possível a concretização de objetivos pessoais, o crédito pessoal pode dar-lhe uma preciosa ajuda, especialmente se este vier sem custos de manutenção e comissões abusivas.

Para o ajudar nesta tarefa, procure um crédito pessoal online porque, para além da rapidez e da simplicidade, este tipo de produto financeiro oferece-lhe um simulador que lhe permitirá comparar propostas e escolher aquela que lhe vai oferecer melhores taxas de juro.

Esse é o caso da solução de crédito pessoal da Credibom, instituição de crédito que, em 2023, foi eleita pelos consumidores portugueses como marca “Escolha do Consumidor” e “5 Estrelas” pela excelência e diversidade dos seus produtos financeiros, que nos oferece valores de financiamento entre os 5 mil e os 75 mil euros, prazos de reembolso entre 24 e 84 meses, taxas de juro de 5,99% a 9,95% (TAN) e de 8,54% a 13,58% (TAEG) e flexibilidade na escolha da data do débito da prestação, algo especialmente importante no caso de as datas de liquidação de faturas de eletricidade e gás não coincidirem com o momento em que recebe, por exemplo, o seu salário.

Assim, para além dos juros de mora, com o financiamento obtido pode evitar o corte de eletricidade/gás que acontecem quando as faturas não são pagas em tempo útil.

 

Publicidade