E24
ambiente praia de apulia

Esposende: Ativista alerta PR para “tragédia dos plásticos” na Apúlia

O presidente da República foi hoje alertado para tragédia de plásticos e microplásticos na Praia da Apúlia (Norte), concelho de Esposende.

Carlos Dobreira, ativista ambiental e praticante de plogging e Big Changer do Movimento Faz Pelo Planeta by Electrão, esteve hoje em sessão plogging na praia de Apúlia. Numa hora e 47 minutos recolheu 120 litros de resíduos.

“A sessão integrou-se na ação de plogging Deixe a Apúlia Limpa”, referiu ao E24 Carlos Dobreira.

Dos resíduos recolhidos, Dobreira destaque para “pauzinhos de chupa-chupas, esferovites de diversas dimensões, cordas, garrafas e copos de plástico, fio dentário flossers, estilhaços de vidro, redes de pesca, fio de pesca, ferro, embalagens de gelado e de chupa chups, tubos de plástico de diversos diâmetros, molas, tampas de garrafas de plástico, isqueiros, esferovites, pedaços de chupetas, sacos de plástico e até uma bucha, uma luva e uma embalagem de produto de limpeza rápida de vidros”.

“De referir a observação de milhares de microplásticos (a maioria com cores diversas) observados no areal”, acrescenta Carlos Dobreira.

Os resíduos foram recolhidos em sacos de plástico tendo-se procedido à separação dos mesmos e colocação em ecopontos e contentor.

“O presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, foi informado do exposto, via formulário de contacto da presidência da República sendo sensibilizado para abordar a poluição dos oceanos em debates com crianças e jovens, assim como alertar o próximo governo para a necessidade de introdução do plogging no sistema de ensino e de incremento (com periodicidade a definir) de aulas fora do estabelecimento escolar, em particular junto à costa por forma a ser fortalecida a consciência ambiental e pedagógica”, deu nota ainda Carlos Dobreira.

Desde 4 de setembro de 2019 até 13 de Janeiro de 2024, em 53 sessões de plogging, a que correspondeu o tempo de 121 horas e 42 minutos, já foram recolhidas 13 497 beatas de cigarro e 3 620 litros de resíduos recicláveis, perigosos e lixo indiferenciado.

Em maio de 2023 já foram doadas 12 197 beatas de cigarro ao Laboratório da Paisagem (Guimarães) para transformação em estrutura construtiva.

Caso as condições atmosféricas o permitam, Carlos Dobreira vai estar amanhã na zona da Amorosa e Gelfa.

 

 

 

Publicidade