E24

Centenas de polícias e guardas fizeram “espera” em Vizela a Pedro Nuno Santos

Centenas de agentes das forças de segurança concentraram-se hoje em Vizela, para fazer “uma espera” ao secretário-geral do PS, Pedro Nuno Santos, que se deslocou aquela localidade para um jantar de Reis.

O protesto visou reivindicar um suplemento de risco equivalente ao da Polícia Judiciária.

Paulo Pinto, representante dos polícias, solicitou um compromisso público de Pedro Nuno Santos, candidato a primeiro-ministro, para resolver o problema das forças de segurança em termos de igualdade com a Polícia Judiciária.

Agentes da PSP, guardas prisionais e militares da GNR vestiram camisolas pretas com a inscrição “Tic, Tac”, expressando a impaciência em relação à situação atual.

O agente da PSP enfatizou que a paciência se esgotou devido à perda de direitos e poder de compra.

Tensão

Pedro Nuno Santos foi exortado a acabar com os suplementos considerados “migalhas” e a garantir igualdade de direitos.

No entanto, a viatura do secretário-geral do PS passou sem incidentes pela zona dos manifestantes, que permaneceram em silêncio.

À saída, Pedro Nuno Santos informou os jornalistas sobre uma reunião agendada para o dia 29 com plataformas representantes das forças de segurança.

O líder do PS afirmou não poder falar em nome do Governo, destacando a importância das forças de segurança para a democracia.

policias gnr vizela - 2

Questionado sobre a possibilidade de comprometer a segurança do país, Pedro Nuno Santos expressou confiança na maturidade democrática do país e assegurou que as forças de segurança nunca colocaram em risco a segurança do povo português.

O secretário-geral do PS participará esta noite num jantar de reis do PS/Vizela, acompanhado por centenas de militantes e simpatizantes socialistas.

 

 

 

Publicidade