E24

Esposende: CDS-PP prepara futuro “vivo” e com “esperança”

Um partido vivo e com “esperança” no futuro. Foi desta forma que a concelhia do CDS-PP de Esposende juntou em jantar várias figuras vivas dos centristas, assim como salientou o “espírito de unidade”.

Forma dezenas que receberam num restaurante do concelho o presidente da distrital de Braga do CDS-PP, Ricardo Mendes, que se fez acompanhar pelo vereador centrista na Câmara de Vila Nova de Famalicão, Hélder Pereira, e o vereador da Câmara de Barcelos, António Ribeiro.

Também José Paulo Areia de Carvalho, candidato do CDS-PP a edil de Esposende nas últimas autárquicas, este no encontro.

Na hora dos discursos, opresidente da concelhia de Esposende do CDS-PP, Rui Silva, destacou “o espírito de convívio e de unidade do CDS”.

“Esposende deve constituir um exemplo e sinal de esperança para o partido pois também, nas últimas autárquicas, partimos de uma expressão eleitoral baixíssima, muitos se questionavam sobre se ainda existia CDS em Esposende, e a verdade é que, mesmo sem grandes meios, reforçámos significativamente os nossos autarcas no concelho e atingimos mais de 9% na votação para a Câmara Municipal”, apontou Rui Silva

O dirigente centrista relembrou os presentes que “para alguns dos problemas do dia a dia que permanecem por resolver no concelho, criticando a forma de gestão autárquica, ultimamente marcada por anúncios de grandes obras e de milhões – do centro desportivo ao parque da cidade, entre outros – mas que depois não se concretizam”, disse Rui Silva.

Também o líder do grupo municipal do CDS-PP na Assembleia Municipal de Esposende tomou a palavra e fez um balanço do trabalho realizado naquele órgão, salientando “a postura de oposição construtiva que o CDS vem adotando e que é reconhecida pelos seus pares”.

Joaquim Escrivães, conhecido senador do CDS, e Gabriela Cruz, líder da Juventude Popular de Esposende, também marcaram presença e ouviram Ricardo Mendes enaltecer a importância do CDS de Esposende na história do partido pedindo a “mobilização dos militantes e a uma comunicação moderna e eficaz”, notando que “aquilo que o CDS representa, isto é, uma visão humanista e personalista, mais nenhum partido conseguiu substituir”.

Publicidade